Já pensou em ter em casa uma lâmpada que libera internet para seus aparelhos? Em breve, isso já será possível.

Na CES 2019, feira de eletrônicos que ocorreu em Las Vegas, foi apresentada a LiFiMax, uma lâmpada Li-Fi que transmite internet por meio da luz. O modelo conta com um alcance de 28 m² e 100 Mbps de velocidade de conexão para até 16 pessoas.

Até agora, deve estar parecendo um Wi-Fi em forma de lâmpada, mas não é. O aparelho utiliza a tecnologia francesa Li-Fi, que foi criada há mais de 15 anos e consiste em transportar informações digitais por meio de luz infravermelha ou ultravioleta.

Mas por quê utilizar uma tecnologia diferente, com a mesma função do tradicional Wi-Fi? Segundo seus defensores, a conexão Li-Fi é mais segura, se tratando de proteção de dados e poluição de ondas, porque a luz não atravessa nenhum obstáculo, como as paredes, por exemplo.

Tá certo que colocar um desses na sua casa talvez não seja de grande utilidade, ainda mais quando se analisa o preço (U$ 900), mas ambientes como hospitais e indústrias, que necessitam minimizar interferências, podem ter benefícios utilizando essa tecnologia. Por não atravessar paredes, ambientes que precisam de privacidade também poderiam usufruir de forma útil da LiFiMax.

A lâmpada tem 2,5 cm de espessura e 10,2 cm de diâmetro, é conectada a um plug ethernet e transmite os sinais de luz, que para serem captados e convertidos em dados, necessitam de um pequeno receptor conectado via USB ao computador. Para funcionar, ela deve estar fixada ao teto, como uma lâmpada comum. 

Para uso doméstico, a LiFiMax não aparenta ser muito interessante, porém, em diversos casos, como os citados acima, ela oferece uma funcionalidade muito melhor que o comumente usado Wi-Fi.